Orar é falar com Deus

Sobre o perdão

imagem de perdão

O perdão é assunto complicado.
Para muitas pessoas é difícil e dolorido conceder o perdão.
Para dar o perdão é preciso compreender os motivos do outro, o que não significa concordar com o que ele fez, mas aceitar com caridade o motivo.
E é o motivo, que nos faz muitas vezes querer negar o perdão.
Conceder o perdão é um exercício diário, é a busca contínua de seguir o exemplo do próprio Cristo.
Imagine o quanto Cristo sofreu pela remissão dos nossos pecados.
Ele nos perdoou de todas as nossas faltas, pelo sacrifício na Cruz.
Às vezes, mesmo pensando neste sofrimento não sentimos vontade de perdoar, mas, é preciso tomar cuidado, a amargura pode nos paralisar de modo que ao invés de perdoar procuremos punir ou procurar vingança.

Perdoar é o ato de livrar o ofensor do pecado, libertá-lo da culpa. Este é o verdadeiro sentido pelo qual Deus se “esquece” quando perdoa, é necessário seguir o que está escrito em Mateus (6,12):

“perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos aos que nos ofenderam”.

Se perdoamos, porque não esquecemos de fato as faltas cometidas contra nós? 
Simplesmente porque o perdão foi concedido da boca para fora. 
No intuito de estar com a consciência tranquila diante de um pedido de perdão, dizemos que perdoamos para simplesmente nos livrar do causador de tal ofensa. 
É necessário lembrar que todos nós somos pecadores e necessitamos recorrer por vezes ao perdão de Deus. 
Seja compassivo e bondoso para com o seu ofensor, principalmente com aqueles que demonstram profundo arrependimento. 
A falta de perdão prejudica a relação entre as pessoas e a nossa relação com Deus. 
Quem precisa de perdão contra uma falta cometida, se sente ferida assim como feriu o próximo. 
O perdão é necessário para curar espiritualmente os corações. 
Pode até parecer que o perdão tem um preço muito alto, mas maior ainda é a misericórdia e o amor de Deus, como nos diz Eclesiástico 17,28: 

“Quão grande é a misericórdia do Senhor, e o perdão que concede àqueles que para ele se voltam”.

Senhor, daí-nos um coração generoso, sempre inclinado ao perdão. Afastai de nós o ódio, o desamor e tornai-nos benevolentes para com os nossos irmão. Que a vossa graça esteja sempre conosco. Amém!
Padre Alberto Gambarini

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.