Orar é falar com Deus

O Sofrimento nos torna uma pessoa melhor ou pior?


lindas-mensagens-oracoes-1230“Meus irmãos, tende por motivo de grande alegria o serdes submetidos a múltiplas provações, pois sabeis que a vossa fé, bem provada, leva à perseverança. ” Tiago 1:2-3

As pessoas mais sábias que conheço já sofreram muito na vida. Mas também é verdade que as mais amargas também passaram por provações. Como isso acontece? A dor é uma força poderosa que nos empurra para uma determinada direção.
Ela pode nos guiar para a maturidade e a sabedoria ou para o desespero e a alienação. Não é o fato de sofrer que nos torna uma pessoa melhor ou pior, mas aquilo que fazemos com o sofrimento. Ele é apenas uma força que nos impele – pode nos impelir de modo brusco ou chegar lentamente e permanecer durante um longo período de tempo.

Não podemos escolher o tipo de sofrimento que vamos enfrentar na vida, mas podemos escolher a direção que decidimos seguir. O sofrimento é uma força poderosa, mas podemos escolher a direção que queremos seguir.

Adam procurou a terapia por causa do estresse. Trabalhava durante longas horas numa firma de consultoria e se sentia sobrecarregado com as responsabilidades do trabalho e de casa. Dedicara sua vida ao serviço religioso durante vários anos, esperando se tornar pastor, mas isso nunca chegou a acontecer. Agora, Adam buscava a terapia para lidar com o estresse decorrente de um trabalho exigente, uma vida familiar complicada e sonhos frustrados. Ele era o caçula de três irmãos e tinha apenas 7 anos quando seus pais se divorciaram. Os pais não acreditavam em Deus, não se amavam e não tinham tempo para se preocupar com o filho. Por isso, Adam procurou ser autossuficiente e decidiu não seguir o caminho dos irmãos mais velhos, que os havia levado às drogas e a autodestruição.

Dedicou-se aos estudos, trabalhando em meio expediente para se sustentar. Decidira desde cedo que ser responsável e optar pelo bem seria a melhor escolha. Adam se tornou cristão ainda no ensino médio e se casou com uma boa moça também cristã logo depois de se formar.

Os dois sonhavam em ser pastores e servir a Deus, trabalhando pelos mais necessitados. Logo depois do casamento, a mulher engravidou. Todos os sonhos de felicidade pareciam estar se realizando. Mas as coisas nem sempre são como parecem. Pouco depois do nascimento da filha, Adam e sua mulher descobriram que a criança sofria de uma grave doença mental. A menina nunca seria independente, precisando de constante assistência.

Ficaram arrasados. Sua única filha estava condenada a sofrer por toda a vida. Como Deus podia permitir que isso acontecesse a duas pessoas que queriam servi-Lo? Por que tanto sofrimento tinha que recair sobre uma criança inocente?

Por causa dos cuidados especiais de que a filha necessitava, Adam teve de arranjar um outro emprego e abandonou o sonho do sacerdócio. Por amor à filha, aceitaram esse novo plano para suas vidas. Adam trabalhava com afinco e procurava seguir o caminho do bem.

– Não consigo ganhar o suficiente -, disse ele, frustrado. – E sufocante quando as necessidades parecem inesgotáveis – respondi. – Ir para o trabalho – ele prosseguiu – , que é brutalmente exigente, é a parte mais fácil do meu dia.

Depois tenho que voltar para casa e enfrentar os maiores obstáculos da minha vida. Sempre pensei que Deus me quisesse como pastor. Mas já não sonho mais. A vontade de Deus é que eu cuide da minha família. – Ter fé não é fácil. Ainda mais quando não sabemos o que esperar – completei. – E – disse Adam. – Minha ideia do que Deus queria para minha vida mudou. Estou apenas tentando encontrar forças para ser o homem de que minha filha precisa.

Li que São Francisco de Assis certa vez disse: “Pregue sempre o Evangelho e, quando necessário, use as palavras. ” Acho que agora entendi o que ele queria dizer. Pregar o evangelho e dar amor para minha filha.

Adam luta diariamente contra a desesperança e a frustração. Mas decidiu que o sofrimento não iria derrotá-lo. Ele poderia ter resistido, se tornado amargo e poderia ter acabado como o restante de sua família, rendendo-se às drogas e a autocomiseração.
No entanto, mesmo desanimado e por vezes revoltado contra Deus, Adam escolheu deliberadamente a direção de sua vida. Ele se levanta todos os dias disposto a fazer o bem para sua família, com a convicção de que, de algum modo, Deus lhe dará forcas para sobreviver.

O resultado? Adam é um homem em pleno processo de crescimento. Apesar de ele próprio não se sentir assim, Adam é uma das melhores pessoas que conheço. O sofrimento é uma forca poderosa. Não conseguiremos evitá-lo, mas poderemos escolher a direção em que ele nos levará.

Deixaremos a dor nos isolar e nos empurrar para a solidão e a amargura, ou decidiremos nos fortalecer com o sofrimento para nos tornarmos pessoas cada vez melhores?

A Bíblia nos ensina: “Meus irmãos, tende por motivo de grande alegria o serdes submetidos a múltiplas provações, pois sabeis que a vossa fé, bem provada, leva à perseverança. ” Perseverança é diferente de paciência. A paciência é receptiva e passiva. Ela nos ajuda a esperar pelas coisas que não temos ainda e nos dá a capacidade de aguardar até que algo melhor aconteça. Mas, para que o sofrimento contribua para o nosso crescimento, é preciso mais do que apenas suportá-lo.

Assim como Adam, é preciso acordar todos os dias e optar por praticar o bem. Não se trata de meramente manter uma atitude positiva nas provações, mas de agir com amor. É dessa forma que o sofrimento é capaz de produzir a perseverança.

Esse tipo de comportamento, além de ajudar na superação da dor, traz alegria sempre que você enfrenta múltiplas provações.

A Bíblia diz que Deus nos ajuda em nosso sofrimento. Isso não significa que Deus irá acabar com o sofrimento, mas que nos criou dotados de força e recursos para enfrentá-lo. A capacidade de perseverar é um desses dons divinos que contribuem para nos tornarmos pessoas melhores, e não nos deixarmos destruir pela dor.

(Fonte: Como Deus cura a Dor – Mark W. Baker)

você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.